Grupo Cidade
Associados à Federação das CDLs do Ceará iniciam curso

O Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE) iniciou hoje, dia 2, uma edição exclusiva do curso online sobre Prevenção e Solução de Conflitos para o segmento varejista, com o apoio da Federação das CDLs do Ceará – FCDL-CE. Participam das aulas, que vão até 5 de junho, representantes das CDLs de todo o estado. Os inscritos terão a oportunidade de desenvolver habilidades técnicas para mediar conflitos principalmente neste período de pandemia, que pode registrar aumento na demanda de negociações comerciais.

O projeto foi apresentado em uma reunião online na última sexta-feira, dia 29, comandado pelo presidente da entidade, Freitas Cordeiro, e contou com a participação da desembargadora Tereze Neumann, do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE), da juíza Andréa Pimenta, coordenadora do Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos (Nupemec), e do Mário Filippe, assessor jurídico e instrutor do TJCE.

O objetivo do curso é habilitar pessoas da área do comércio a resolverem conflitos, evitar que eles precisem ser judicializados e dar oportunidade para que o método consensual seja prioridade em um acordo comercial. O Nupemec vai disponibilizar o curso para as CDLs e outras entidades do setor. Desta forma, pretende-se capacitar pessoas de todo o Estado com técnicas para esse formato de negociação.

Assim, as CDLs podem se tornar locais para que credores e devedores tenham a oportunidade de estabelecerem conciliações, sem precisar levar questões ao judiciário. Segundo a juíza Andréa Pimenta, coordenadora do Nupemec, o curso passará técnicas adequadas para esses momentos. 

O assessor jurídico e instrutor do TJCE, Mário Filippe, aponta que inerente às relações sociais, os conflitos existem e pode ser difícil para o judiciário atender todas as demandas. 

Para Freitas Cordeiro, presidente da FCDL-CE, o convite para as partes irem até uma CDL, que é a casa do associado, um ambiente consensual, que não é hostil, pode facilitar a acolhida à negociação. “As técnicas nos capacitam, inclusive, para encontrarmos saídas para o devedor solucionar uma pendência com o credor. O mediador pode estar preparado para ouvir os dois lados, ter clareza da situação e saber lidar com essa experiência. As ferramentas serão valiosas para prevenção judicial. É importante fazer isso para que as partes não se desgastem, pois têm relações comerciais em andamento”, conclui o presidente da entidade varejista.

COMENTÁRIOS