Estudo da OMS conclui que hidroxicloroquina e remdesivir não são eficientes contra o coronavírus

No total, foram seis meses de pesquisa em 405 hospitais de 30 países

Foto: Divulgação

Em estudo global com mais de 11 mil participantes de 30 países, a Organização Mundial da Saúde (OMS) concluiu que quatro antivirais que vêm sendo utilizado contra o coronavírus não apresentam resultados eficazes contra a doença. Os medicamentos são o remdesivir, hidroxicloroquina, lopinavir/ritonavir (combinação) e interferon beta-1a.

O estudo, chamado "Solidarity Therapeutics Trial", teve seus resultados disponibilizados em uma pré-publicação nesta quinta-feira, 15, na plataforma MedRxiv. No total, foram seis meses de pesquisa em 405 hospitais. Em conclusão, a pesquisa declarou que nenhum dos medicamentos atuou de forma efetiva na redução do tempo de hospitalização e na mortalidade da doença. 

Entre os 11.266 participantes adultos, 2.750 ingeriram o remdesvivir; 954, hidroxicloroquina; 1.411, lopinavir; 651, interferon junto ao lopinavir, 1.412, somente o Interferon; e 4.088 não recebeu medicamentos, fazendo parte apenas do do grupo controle. No total, a pesquisa registrou 1.253 mortes.

O resultado ainda passará pela análise de outros cientistas para certificar a eficácia da pesquisa.

Redemsvivir, remédio utilizado contra o Ebola, vem sendo indicado pelo governo dos Estados Unidos como uma solução para o coronavirus, tendo sido inclusive ingerido pelo presidente Donald Trump. Já hidroxicloroquina foi defendida pelo presidente Jair Bolsonaro. 

COMENTÁRIOS