Grupo Cidade
Após exoneração de presidente de Comissão da OAB-CE, membros apresentam renúncia coletiva

A oposição, que deverá montar uma chapa em outubro para concorrer às eleições em novembro deste ano, se classifica como movimento "Muda OAB"

Foto: Divulgação

Após a exoneração do advogado Thiago Fujita da presidência da Comissão de Defesa do Consumidor da OAB Ceará, um grupo de 44 advogados membros da comissão apresentaram um pedido de renúncia coletiva de seus cargos de forma a demonstrar apoio a Fujita e também contra a atual gestão do presidente da OAB Ceará, o advogado Erinaldo Dantas.

A oposição, que deverá montar uma chapa em outubro para concorrer às eleições em novembro deste ano, se classifica como movimento "Muda OAB". O grupo é encabeçado por diversos nomes, como os advogados Marcelo Mota, ex-presidente da OAB Ceará; Pedro Bruno, atual secretário geral da OAB; Sávio Aguiar, presidente da Caixa de Assistência da OAB; e Andrei Aguiar, presidente da Associação Brasileira de Advogados no Ceará (ABA-CE). 

No documento da renúncia, os advogados indicavam que estavam renunciando “a participação na Comissão de Defesa do Consumidor, gestão 2019/2021, em razão do ato autoritário de retirada do colega Thiago Figueiredo Fujita, OAB-CE n. 18.776, da condição de Presidente da Comissão, por motivação meramente política. Não aceitando como legítima a continuidade dos trabalhos dessa gestão, diante do ato de perseguição contra todos os membros, não só contra a pessoa de um presidente”.

Em nota, o ex-presidente da Comissão Fujita indicou que “infelizmente, se desfaz um trabalho de mais de 2 anos de serviços, com congressos, ações civis públicas, seminários, popularização do Direito do Consumidor no Interior do estado do Ceará e no Brasil, realizado por este grupo”.

A Frisson entrou em contato com a OAB para conseguir um posicionamento da gestação atual, mas a assessoria indicou que não conseguiria uma resposta nesta sexta-feira.

 

COMENTÁRIOS