Prêmio que celebra desenvolvimento no Ceará, Troféu Sereia de Ouro acontece no formato de campanha

Em nota divulgada para a imprensa, o Grupo Edson Queiroz, instituição criadora do Prêmio, ressaltou que a medida visa garantir segurança a todos os envolvidos.


Edson Queiroz Neto e Ticiana, Abelardo Rocha e Viviane (Arquivo Frisson)

O Troféu Sereia de Ouro, que anualmente premia e reconhece personalidades cearense que se destacaram no desenvolvimento do Estado nas mais variadas áreas de atuação, não terá edição presencial em 2020 devido à pandemia do novo coronavírus. 

Em nota divulgada para a imprensa, o Grupo Edson Queiroz, instituição criadora do Prêmio, ressaltou que a medida visa garantir segurança a todos os envolvidos. Entretanto, para não deixar a homenagem passar em branco, o grupo explicou que o veículo jornalístico Sistema Verdes Mares está desenvolvendo campanhas para contar histórias de personagens que fizeram a diferença na sociedade.

Serão 50 mini documentários de 50 personalidades. As transmissões começaram na última segunda-feira, 7, e seguem até o final do mês de setembro. No dia 27, na TV Diário, o foco será na retrospectiva do Prêmio, desde a sua criação até o momento atual.

“Nesta edição, os personagens serão escolhidos através de indicações e passarão por uma curadoria especial de nossos jornalistas. As histórias emocionantes e inspiradores desses cearenses serão contadas, em setembro, nos veículos de comunicação do Sistema Verdes Mares”, diz a nota, assinada por Abelardo Gadelha Rocha Neto, diretor presidente do Grupo Edson Queiroz. 

O Troféu Sereia de Ouro é realizado desde 1971 e, em 2020, iria realizar a sua 50ª edição. Em 2019, o prêmio homenageou quatro personalidades: o cientista Fernando de Mendonça, a desembargadora Iracema do Vale, o artista Espedito Seleiro e o médico Sulivan Mota.

COMENTÁRIOS