Grupo Cidade
De perna amputada a apelido do rei, relembre curiosidades de Roberto Carlos

MARIANA ARRUDAS - SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) 

Considerado um dos principais nomes da música brasileira, o rei Roberto Carlos chega aos 80 anos nesta segunda (19). Em sua carreira, ele possui muitos sucessos, como "Esse Cara Sou Eu", "Como é Grande o Meu Amor Por Você" e "É Proibido Fumar".

Além das faixas de sucesso, seus mais de 60 anos de carreira também acumulam muitas superstições, fãs e singularidades. Em comemoração ao aniversário do artista, a reportagem preparou uma lista de curiosidades sobre a trajetória e personalidade do rei.

INFÂNCIA
Roberto nasceu em Cachoeiro do Itapemirim, no Espírito Santo. Filho do relojoeiro Robertino Braga e da costureira Laura Moreira Braga, ele estudou em um conservatório de música. Sua primeira apresentação foi aos nove anos em um programa infantil da época, na rádio Cachoeira. Também aos nove anos, o rei adorava fazer imitações do cantor brasileiro Bob Nelson. O artista country foi inspiração para Roberto, e desde então surgiu a vontade de seguir a carreira artística.

RELIGIOSIDADE
O cantor foi batizado apenas aos 23 anos. Na época, a mãe do artista era católica e o pai espírita, então, eles decidiram esperar Roberto Carlos crescer para que ele assentisse qual religião iria seguir.

PERNA AMPUTADA APÓS ACIDENTE
O acidente que o levou a ter uma perna amputada é um assunto muito sério para o cantor, e acabou se tornando uma espécie de tabu entre os brasileiros, que muitas vezes duvidam da veracidade deste fato.

Aos seis anos, porém, o artista sofreu um acidente de trem que comprometeu boa parte de sua perna direita. Durante a infância, ele usava muletas e, aos 15, quando morou no Rio de Janeiro, ganhou a primeira prótese.

O rei decidiu que jamais falaria sobre o assunto publicamente. Em 2018, seu filho Dudu Braga disse: "Respeito a posição dele, até porque ele sempre foi ligado a causas sociais, humanitárias. Desde a época da Jovem Guarda, ele reserva um número de shows para serem beneficentes."

"Antigamente, não existia o respeito pelo deficiente como existe hoje. Meu pai foi chamado de aleijado, os tempos estão mudando de maneira positiva, e no tempo certo ele falará sobre isso e será muito bacana", completou.

PORQUE ELE É CHAMADO DE REI?

Roberto Carlos é chamado de rei desde a década de 1960. A primeira pessoa que o chamou deste modo foi o apresentador Chacrinha e ele gostou tanto do apelido que, em 1966, realizou uma cerimônia de coroação em seu programa, na TV Excelsior, para dar o título de "Rei da Juventude" ao artista.

"A coroação provocou um congestionamento de três horas no Leblon, ao redor do Teatro Astória, onde tudo aconteceu", disse Denilson Monteiro na biografia do Velho Guerreiro. E desde então, o cantor passou a ser chamado apenas de rei, apelido consagrado até os dias de hoje.

"Quando começaram a me chamar de rei, eu ficava sem graça e sem saber como reagir. Tinha medo que pensassem que eu estava me achando se respondesse e ao mesmo tempo tinha medo que me achassem metido se não respondesse", disse Roberto Carlos em uma coletiva de imprensa em 2018.

"É complicado. Até porque não me considero um rei. Com o tempo, fui me acostumando. Se gritam: 'Fala aí, rei', eu respondo: 'Oi, e aí!'. Mas ainda hoje me considero só um cara comum que compõe e canta."

ROBERTO NO MUNDO DOS NEGÓCIOS
Além de cantor, Roberto Carlos também é um empreendedor bem-sucedido. Ele já associou sua marca a cruzeiros marítimos, condomínios, panetones, touros, vacas e até mesmo cartões de crédito. No início da década de 2010, o artista aproveitou o "boom" imobiliário e decidiu investir em arquitetura e engenharia.

Roberto Carlos queria lançar um prédio com seu nome. Um de seus sócios, porém, percebeu uma oportunidade e criou a Emoções Incorporadora, empresa inaugurada em 2011 que se especializou em imóveis de alto padrão.

Um apartamento da empresa pode ultrapassar R$ 4 milhões. Uma de suas construções mais conhecidas é o Horizonte Jardins Offices e Hotel, que fica localizada na cidade de Aracaju, capital de Sergipe.

PAIXÃO POR ROSAS
Este fato é bastante conhecido pelo público do cantor. Em seus shows, é comum ver Roberto Carlos distribuindo flores aos fãs durante as apresentações, o que se tornou uma marca registrada e aguardada. Em entrevista ao Programa do Jô (Globo), em 2016, ele disse que chega a lançar cerca de 120 flores.

Além disso, o artista decidiu levar seu amor por rosas para outro ramo de sua vida: em 2018, ele planejou a construção de um prédio com o formato da flor: seria um condomínio residencial que contaria com 152 apartamentos construído em Goiânia, capital de Goiás. O projeto ainda não foi concluído.

ESPECIAL DE FIM DE ANO
Roberto Carlos já tem contrato com a Globo há mais de 45 anos e seu especial de final de ano já se tornou tradicional no Brasil. O que muitos não sabem é que em todos esses anos, o rei deixou de gravar apenas quatro vezes o programa.

Em 2020, ele não gravou devido à pandemia do coronavírus, então a emissora exibiu cenas de um show do artista em Jerusalém. No ano anterior, 2019, ele também não gravou a apresentação anual e a Globo passou um compilado de imagens de uma turnê do cantor.

Em 2011 foram exibidas imagens do show em Jerusalém e, em 1999, ano da morte de sua esposa Maria Rita, Roberto Carlos também não gravou o especial, e a emissora também não exibiu.

MÚSICA COM JENNIFER LOPES
Em dezembro de 2016, o rei lançou uma música em parceria com a cantora pop Jennifer Lopez. Composta por Kany Garcia, "Chegaste" teve a letra adaptada para o português e a colaboração marcou a primeira vez em que a diva cantou em nossa língua.

O clipe da música foi lançado exclusivamente para o especial de fim de ano "Simplesmente Roberto". Lopez declarou que gravar com Roberto Carlos foi "um sonho que se tornou realidade". "O Brasil, para mim, é um lugar muito especial, porque a primeira turnê que fiz na minha vida, o primeiro show, foi no Brasil."

"Quando eu estava começando a fazer o meu disco... quer dizer... com quem você imagina trabalhar? Quem é a pessoa que você se imagina fazendo um dueto? E todo mundo dizia Roberto Carlos. É uma grande honra para mim trabalhar com o rei", completou a cantora.

RELAÇÃO COM TIM MAIA

Roberto Carlos e o cantor Tim Maia tiveram um grupo juntos chamado Os Sputniks, por volta de 1950. A separação da banda foi conturbada e a relação entre os artistas seguiu com conflitos ao longo dos anos. No filme "Tim Maia" (2014), o cantor foi representado como um vilão na vida do falecido artista.

A trama do filme mostra que Os Sputniks se separaram após o rei solicitar uma performance solo, na qual imitava Elvis Presley. Tim Maia, então, foi para os Estados Unidos e, quando voltou, a Jovem Guarda e Roberto eram um sucesso.

No ano seguinte, o filme foi editado pela Globo Filmes e relançado como a minissérie "Tim Maia: Vale o Que Vier". A história foi modificada com a inclusão de depoimentos, oportunidade na qual Roberto Carlos teve uma nova perspectiva na história e limpou a própria barra.

Independentemente da obra e dos conflitos, os artistas acabaram se reaproximando. Tim Maia já compôs músicas para Roberto e Erasmo Carlos, como o sucesso "Não Vou Ficar". E em 1985, o cantor chegou a ser convidado para o especial de fim de ano de Roberto.

PRIMEIRAS GRAVAÇÕES
A primeira gravação do rei foi feita em 1959, com as músicas "João e Maria" e "Fora do Comum". E em 1961, o cantor lançou seu primeiro disco, intitulado "Louco Por Você". O objeto virou uma relíquia e é desejado entre fãs e colecionadores.

Segundo site oficial do artista, Roberto Carlos quebrou um recorde em 1993 e entrou para o Guiness Book como o brasileiro que ganhou mais discos de ouro e de platina.

MÚSICAS
Roberto Carlos se inspira em sua vida pessoal para escrever algumas de suas canções. Por exemplo, a faixa "Lady Laura" foi escrita para sua mãe, já a música "Meu Querido, Meu Velho, Meu Amigo", foi feita para seu pai.

O sucesso "Como É Grande O Meu Amor Por Você" é dedicado a Nice, sua ex-mulher. A atriz Myrian Rios, com quem o cantor ficou junto por nove anos, é inspiração para a faixa "Eu Preciso de Você". Maria Rita, sua última esposa, ganhou "O Grande Amor da Minha Vida".

Maria Rita e Roberto Carlos ficaram casados por poucos anos. O falecimento precoce de sua esposa, após a batalha conta um câncer, fez com que o rei ficasse um ano sem lançar nenhum trabalho, o que quebrou a rotina de ter um disco por ano.

SUPERSTIÇÕES
O rei tem aversão ao número 13. Ele evita ter 13 pessoas a sua volta, não entra em um voo que tenha apenas a poltrona 13 disponível e não utiliza um carro que tenha o número na placa. Além disso, ele também comemora o ano-novo apenas uma hora da manhã, não à meia-noite.

O cantor não gosta das cores roxo e marrom. Sua cor preferida, como quase todos sabem, é azul. Ele não começa nenhuma temporada ou gravação de disco em agosto e nunca assina documentos importantes na lua minguante.

POLÊMICA DA CARNE
O cantor passou 30 anos sem ingerir carne e, em 2014, fez um comercial para a marca Friboi, em que aparecia comendo o alimento. A repercussão do comercial foi tão ruim que a marca desativou os comentários do vídeo no YouTube.

Na época, Wesley Batista, presidente da JBS no Brasil, afirmou que o convite para o cantor participar do clipe publicitário aconteceu apenas depois que Roberto Carlos declarou publicamente que havia voltado a comer carne.
Na sequência, alegando ter feito uma aposta ousada que não deu certo, o grupo JBS rescindiu o contrato de R$ 45 milhões com Roberto Carlos para que o rei fosse garoto-propaganda das carnes Friboi e dos produtos Swift, duas de suas principais marcas.

PARA ALÉM DAS MÚSICAS
O rei não manteve sua popularidade apenas em seus álbuns e discos, mas a expandiu para o cinema. Entre 1968 e 1971, Roberto Carlos gravou três filmes que fizeram sucesso na época, sendo eles: "Roberto Carlos e o Diamante Cor-de-Rosa", "Roberto Carlos em Ritmo de Aventura" e "Roberto Carlos a 300 Quilômetros por Hora".

MÚSICAS REGRAVADAS
O sucesso de Roberto Carlos é tanto que muitos artistas e grupos musicais brasileiros já interpretaram suas canções. Entre eles, Titãs com "É Preciso Saber Viver", Fafá de Belém com "Desabafo" e Maria Bethânia com "Fera Ferida".

Além desses músicos, a lista conta com Joana que interpretou "Nossa Senhora", Ana Carolina que cantou "Força Estranha", Sandy com "As Canções que Você Fez Para Mim", Alcione com "Sua Estupidez", Jota Quest em "Além do Horizonte" e Ivete Sangalo com "Lady Laura".

COMENTÁRIOS