Com clima favorável, Conab avalia que safra brasileira de café é a segunda maior da história

Os bons resultados são devido às condições climáticas favoráveis para a produção do café arábica, que teve um crescimento de 38,1% em comparação ao ano passado

Foto: Divulgação

Em levantamento divulgado nesta terça-feira, 22, a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) avaliou que o 3º Levantamento da Safra 2020 de café será a segunda maior da história. Com 61,6 milhões de sacas beneficiadas de arábica e conilon - tipos de café -, a colheita fica atrás somente da de 2018, que chegou a 61,7 milhões. 

Os bons resultados são devido às condições climáticas favoráveis para a produção do café arábica, que teve um crescimento de 38,1% em comparação ao ano passado. Já o café conilon, principalmente produzido no Espírito Santo, teve uma queda de 5,1% em relação a 2019. Já Minas Gerais, maior produtor do Brasil, prevê uma colheita de 33,5 milhões de sacas, número 36,3% a mais que no ano passado.

Segundo ainda dados da Conab, a safra já está com 90% da produção colhida. Pelo cenário de preços elevados, a comercialização está sendo feita de forma antecipada. Estima-se que 60% das safras de junho de 2020 e julho de 2021 já foram realizadas. 

Apesar do resultado, a Conab ainda declara que as exportações estão menores que a do ano passado, mas que a valorização do dólar fez com que o lucro fosse maior. Em agosto de 2020, o País exportou 3,3 milhões de sacas de café, uma queda de 3,3% do volume em relação ao mesmo mês no ano passado, mas que resultou em uma receita de R$ 2,1 bilhões, o que representa um aumento de 25% em reais.

 

COMENTÁRIOS